domingo, 31 de janeiro de 2010

A estação polar Neumeyer III - dinheiro bem gasto

A nova base de investigação alemã na Antártida.
Coordenadas: 70º 68' S, 8º 26' W


Foi inaugurada a 20 de Fevereiro de 2009. É a primeira estação a integrar a investigação científica com instalações operacionais (cozinha, sanitários...) e alojamentos no mesmo edifício, numa plataforma levantada sobre pilares acima da superfície da neve. Conta ainda com uma garagem e armazém sob o gelo.

A plataforma alberga 100 contentores com dormitórios, cozinha, refeitório, hospital, laboratórios, salas de trabalho, sala de comunicações rádio, sanitários, sala de cinema, ginásio e sauna, estação de fornecimento de energia e instalação de fornecimento de água a partir da fusão da neve.

A principal novidade da estação é a capacidade de se adaptar às condições de acumulação neve e gelo através de um sistema hidráulico de elevação.


Nove a dez pessoas no máximo podem viver e trabalhar em permanência na Neumayer III durante o inverno antártico: um médico que é também o director, um meteorologista, um engenheiro em química da atmosfera, dois geofísicos, um electricista, um operador de rádio e engenheiro electrónico, um engenheiro mecânicoe um cozinheiro. A estadia é de 14 a 15 meses. No curto verão antártico, a base admite até 30 investigadores.

A Neumayer III foi transportada de barco para a Antártida em Janeiro de 2008 na forma de kit para montagem no local. Demorou cerca de 1 ano a ser montada...

Pesando 2 300 toneladas, a Neumayer III consiste numa superestructura montada sobre 16 pilares hydraulicos. É uma caso pioneiro de moderna tecnologia de construção, e é dirigida pelo Alfred Wegener Institute (AWI) para investigação polar e marinha.

O AWI

O Alfred Wegener Institute trabalha em o investigação científica no Ártico e Antártico. O instituto coordena as bases de investigação com uma frota polar de barcos como o quebra gelos “Polarstern” , e aviões como o Polar 5, desenvolvido pelo AWI para intervir na região antártica. Além de transporte de pessoas e cargas, inclui pequenos laboratórios.

O quebra gelos Polarstern:

Um laboratório flutuante de grande escala, 0 Polarstern é o mais importante dos recursos da AWI. Entre Novembro e Março frequenta o verão antártico, viajando depois para o Ártico onde passa o verão destas paragens. O seu vasto equipamento (9 laboratórios, aquários, salas refrigeradas) permite fazer investigação nas áreas da biologia, geologia, geofísica, glaciologia, química, oceanografia e meteorologia. Tem uma tripulação de 44 pessoas e aceita 50 cientistas. Aguenta - 50º C e vence gelo de 1,5 m de espessura.

Todo este impressionante equipamento de infraestruturas permite à Alemanha desempenhar um papel de vanguarda no estudo geofísico das regiões polares. Dinheiro bem gasto, como o Global Seed Vault da Noruega, de que já falei.

0 comentários :