terça-feira, 23 de março de 2010

Como um cisne passeando sobre a água

Ainda aqui nunca postei sobre o concerto para violino de Sibelius, um dos que mais aprecio; há muitas versões excelentes dos grandes violinistas - Heifetz, Oistrakh, Perlman.. - mas o mais empolgante na dupla perspectiva sonora e visual é a versão de Akiko Suwanai com Vladimir Ashkenazi dirigindo a Philarmonia Orchestra. Eis os dois andamentos mais curtos (2º e 3º), em especial o 3º onde Suwanai deslumbra. Sibelius em estado de graça.

Sibelius, concerto para violino e orquestra
A.Suwanai / Ashkenazi, Philarmonia Orchestra
( 2º and.)



( 3º and.)

Não resisto às sequências de grande plano sobre a mão da violinista correndo pelo Stradivarius, numa vertigem de perfeita sonoridade...

2 comentários :

Paulo disse...

Há uns bons vinte anos vi Ashkenazi dirigir a Royal Philharmonic Orchestra (se a memória não me atraiçoa) no Coliseu com esta mesma obra. A solista era a jovem Midori, que impressionou bastante. Viu-a agora na Casa da Música?

Mário disse...

Paulo,

sim, vi a Midori mas não "postei" por falta de tempo.´Semanas difíceis, tudo atrasado...

O concerto foi óptimo, Midori exagerou um pouco em Bach, a sonata de Schnittke é que foi um assombro. Não conhecia e fiquei abismado. Excelente obra contemporânea.

O som do Guarnerius também é de suspirar por mais.